• Quarta-Feira, 17 de Agosto de 2022
  • 09:47h

O Presidente Jair Bolsonaro diz que Mauro Mendes tem pavio curto

O Presidente Jair Bolsonaro diz que Mauro Mendes tem pavio curto

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, na quarta-feira (3), que o governador Mauro Mendes (União) tem “pavio curto”. A declaração ocorreu durante reunião no Palácio da Alvorada, em Brasília, com líderes do agronegócio de Mato Grosso, prefeitos e a bancada federal. Veja o vídeo digulgado pelo Capital Política no final da matéria. 

 

“Não é fácil a minha vida, não estou reclamando, como não é fácil a vida de muitos prefeitos aqui, prefeitas, governador, que tem o pavio curto, eu sei disso. Cadê o governador? Ele tem o pavio curto. Eu sei disso. Faz parte do nosso temperamento, mas nós buscamos sempre o melhor para aqueles nos representamos no Estado, como na União”, disse Bolsonaro para uma “plateia” de mais de 100 pessoas.

 

Apesar da declaração de Bolsonaro, o governador deu a entender que selou de vez o compromisso de apoiar a candidatura à reeleição do presidente. Os gestores já haviam declarado apoio mútuo em meses anteriores. Como prova disso, em seu discurso, Mendes adotou um tom mais “bolsonarista” e elogiou a atuação do governo federal durante a pandemia da covid-19.

 

“Vivemos nos últimos quatro anos nesse país e planeta talvez a maior crise que a humanidade conheceu nos últimos séculos. Não havíamos enfrentado nos últimos 100 anos uma pandemia na dimensão e velocidade e reflexos sociais e saúde como vivenciamos nos últimos três anos”, disse.

Aliança com Wellington Fagundes

O governador ainda sinalizou que deverá fechar o seu palanque e anunciar coligação com o senador e pré-candidato à reeleição, Wellington Fagundes (PL).

 

O gestor garantiu a Bolsonaro que irá “honrar” o seu compromisso com o presidente nacional do Partido Liberal, Valdemar da Costa Neto. Esse acordo, segundo apurado pelo Jornal A Gazeta, foi feito no dia 9 de março em um hotel, em Brasília. O governador teria proposto ao líder partidário para que o chefe do Planalto apoiasse a sua reeleição. Em contrapartida, o gestor escolheria Fagundes para o seu palanque.

 

"Eu conversei há poucos meses com o presidente do seu partido, Valdemar, fizemos um compromisso. Falei, por alguns segundo com o senhor, falamos sobre o tema e o senhor pode ter certeza que nós vamos honrar esse compromisso e estaremos, durante as próximas semanas, defendendo o que eu e grande parte dessas pessoas acreditam”, garantiu o governador.

 

Apesar da promessa, o encontro, de certa forma, frustrou os planos do senador. Isso porque Wellington tinha a expectativa que o acordo fosse fechado com a “benção” do presidente já na quarta-feira. Entretanto, conforme informações apuradas pela reportagem, o governador não teria conseguido se reunir com o presidente. Diante disso, a definição ficará para esta sexta-feira (5), durante a convenção partidária do União Brasil, em Cuiabá.

Fonte: gazetadigital

Autor: Luis Vinicius Foto Christiano Antonucci/Secom-MT