• Quarta-Feira, 06 de Julho de 2022
  • 18:03h

Mesmo em queda, etanol só vale a pena em quatro estados

Mesmo em queda, etanol só vale a pena em quatro estados

Preço médio do litro do álcool caiu 1,84% e combustível custa R$ 4,91 nos postos; gasolina recuou 0,2%, para R$ 7,23, mostra ANP

queda de 1,84% no preço do etanol foi insuficiente para tornar o combustível competitivo para a maioria dos motoristas de carros flexpower no Brasil. Na semana passada, o valor médio cobrado pelo álcool combustível nos postos caiu de R$ 5,002 para R$ 4,91. Ao mesmo tempo, o preço da gasolina ficou 0,21% mais baixo, ao passar de R$ 7,247 para R$ 7,232.

Mesmo com a redução maior de preço, o etanol é mais competitivo do que a gasolina apenas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás, de acordo com dados coletados na última semana pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

A conta considera que abastecer com etanol só vale a pena quando o valor do combustível custa menos do que 70% do preço cobrado pela gasolina. Com isso, os consumidores do estado do Paraná, onde a porcentagem é de exatamente 70%, podem escolher qualquer um dos dois combustíveis para abastecer.

 

Por outro lado, a gasolina compensa em relação ao etanol nas outras 23 unidades da Federação. A vantagem absoluta do combustível é verificada nos estados do Amapá e Rio Grande do Sul, que têm uma relação superior a 90% entre os líquidos.

A gasolina também é mais vantajosa em Roraima (89,37%), Santa Catarina (87,75%), Rondônia (85,36%), Pará (84,95%), Ceará (84%), Maranhão (83,74%), Rio Grande do Norte (83,47%), Sergipe (82,71%), Espírito Santo (81,29%), Acre (80,53%) e Tocantins (80,2%).

Também vale a pena optar pela gasolina em Alagoas (79,99%), Pernambuco (78,84%), Rio de Janeiro (78,44%), Distrito Federal (77,67%), Bahia (76,96%), Amazonas (75%), Mato Grosso do Sul (73,81%), Piauí (73,36%) e Paraná (73,1%).

Os valores divulgados nesta reportagem são referentes aos preços apurados na semana entre os dias 12 e 18 de junho e ainda não levam em conta o reajuste anunciado pela Petrobras para o preço da gasolina e do diesel na última sexta-feira (17).

 

 

Fonte: R7

Autor: Do R7